Na própria palma

Dona Ivone Lara / Bruno Castro / Mauricio Verde

A palma que marca na própia palma
Esquenta o terreiro e encendeia a alma
O samba rasgado embala o meu sorriso
Desata o laço e afasta o meu penar
O brinde selado no copo estala
Apura o sabor e tempera a fala
A palma que marca na própia palma
Esquenta o terreiro encendeia alma

O amor em forma de canção se espalha
Numa corrente de emoção desagua
A mão percorre o violão a desenhar
Acordes lindos de se admirar
E na batida firme do cavaco
Esqueço a dor que mora ali ao lado
E o povo em volta forma uma aliança
É tão sublime o coro a cantarolar


© Direto /
Na própria palma
ouça a música
em Sempre a cantar, 2004 Áudio