Dona Ivone Lara: canto de rainha

Sara Paixão, O Dia

09.08.2010

Foto: Fernando Souza / Agência O Dia

Aos 89 anos, a Dama do Samba fala da emoção de ser homenageada no 21º Prêmio da Música Brasileira

Rio - Arlindo Cruz e Sombrinha escreveram há 27 anos a música ‘Canto de Rainha’, em que se renderam à Grande Dama do Samba. “Foi a primeira homenagem para Dona Ivone Lara, que ainda está cantando e compondo. E é uma graça no palco”, elogia Arlindo, que vai entoar a canção, com a bateria do Império Serrano, durante a cerimônia do 21º Prêmio da Música Brasileira em homenagem a ela, quarta-feira, no Theatro Municipal.

Lenço no cabelo e no pescoço, fala mansa, Dona Ivone Lara parecia uma vovó comum, de 89 anos, ao chegar ao ensaio no Estúdio Floresta, no Cosme Velho, na última quinta. “Graças a Deus, não sofro do coração. Estou tão feliz com essa homenagem. Vai ser lindo, vão estar presentes muitos amigos”, diz a compositora, que gravou seu primeiro álbum aos 69 anos e, no ano passado, o primeiro DVD.

Na sala de espera, Dona Ivone festeja o compositor Delcio Carvalho. “Ele é meu parceiro de coração, meu filho mais velho”, relembra Dona Ivone, sobre a parceria que rendeu clássicos como ‘Alvorecer’, ‘Candeeiro de Vovó’ e ‘Sereia Guiomar’, que serão interpretadas na festa por Delcio e o grupo Casuarina. “A nossa parceria era mediúnica. Ela mandava a melodia e a letra vinha na hora”, diz Delcio.

No estúdio, Dona Ivone é recebida por Rildo Hora, diretor musical da premiação, com um beijo na testa. “Quando ouvir os negros batucando, e sentir o tambor da África, a senhora canta. E, vocês, não toquem alto para não assustar Dona Ivone”, pede ele, cuidadoso, aos ritmistas no atabaque, antes da execução de ‘Sorriso Negro’.

"Também vai rolar um Villa-Lobos. É viadagem minha”, brinca ele, referindo-se aos três violinos e um violoncelo que acompanharão o samba. “Você pode tudo, meu filho”, atesta Dona Ivone, que, no encerramento, à altura de sua majestade, cantará ‘Sonho Meu’ ao lado de convidados ilustres como Caetano Veloso, Roberta Sá e Lenine.