Ivone e Délcio: feitos um para o outro

Roberta Pennafort, O Estado de São Paulo

26.09.2010

Paulo Vitor/AE

Em março de 2008, um show no Teatro Municipal de Niterói festejou antecipadamente os 35 anos de casamento entre as melodias de Dona Ivone Lara e as letras de Delcio Carvalho. Feitos um para o outro, autores de clássicos gravados por gerações de artistas - Sonho Meu, Acreditar, Alguém Me Avisou, Candeeiro de Vovó -, eles continuam compondo juntos. Ela, aos 89 anos; ele, aos 71.

Prova disso são as cinco inéditas que estão no CD comemorativo Bodas de Coral no Samba Brasileiro. O lançamento é da Natura, que patrocinou uma tiragem de três mil CDs. Não haverá venda em loja. Quem for ao show no Rio, no Teatro Carlos Gomes, amanhã, e pagar o ingresso inteiro (R$ 10), ganha um. Em São Paulo, no Teatro Popular do Sesi, no dia 17 de novembro, será assim também, sendo que o ingresso serão dois quilos de alimento não-perecível.

O modo de compor é praticamente o mesmo há 35 anos: em geral, Dona Ivone faz a melodia (antes, no cavaquinho; hoje, na base do laraiá mesmo) e pede a letra a Delcio, que vai até sua casa para lá pensarem juntos.

Tudo sai sem dificuldade, eles contam. "Ela é a maior das melodistas, conhece a fundo o que faz. Quase sempre a melodia já traduz a letra", dizia Delcio, enquanto fazia um chamego em Dona Ivone, na tarde da última segunda-feira, durante audição do CD, na sede do Cordão da Bola Preta. "Pena que ela parou de me ligar!"

"Não parei, é brincadeira dele. Tenho ele como maior letrista do Brasil", interveio logo Dona Ivone. "Já me chamaram de egoísta porque me pedem música e eu não dou. Não dou porque quero que Delcio faça as letras, e não que alguém dê pra outro fazer. E também porque gosto de cantar o que eu faço."

Junto a alguns de seus sambas mais cantados, gravados por Clara Nunes, Maria Bethânia, Beth Carvalho, Alcione, Zeca Pagodinho, Caetano Veloso e Gilberto Gil, estão no CD parcerias pouco conhecidas, como Amor Sem Esperança, Sonho e Saudade, Cigana [ ]e [/ ]Nos Combates Dessa Vida.

Ainda Baila no Ar, uma das inéditas, tem o dedo de um dos netos de Dona Ivone, André Lara. "Comecei a primeira parte da melodia, mostrei para ela, e depois o Delcio fez a letra. É uma escola para mim", conta o jovem, que gosta de ouvir as fitas deixadas pela dupla no rastro de tantos sucessos, Também inéditas são Nem É Preciso Falar, O Tempo Passou e Sol de Verão, que Delcio apresentou ao público pela primeira vez no show de Niterói. Ainda Baila no Ar foi gravada em estúdio por Dudu Nobre e Wilson Das Neves; A Festa foi dividida por Mart"nália e Alcione, também em estúdio.